Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007
Antetempo (1)


— Paulo Jablochkoff inventou a sua vela carbónica há menos de dois anos. Ele resolveu o problema do arco voltaico de forma engenhosa: dois longos eléctrodos de carvão, separados por uma fina camada de sulfatos de cal e de barita. Finalmente, temos uma vela capaz de durar mais de uma hora: a chispa queima-a uniformemente, graças a um gerador especial que inverte o fluxo eléctrico várias vezes por segundo.
— É tão feia a vossa luz mágica. Meu Pai não me deixa espreitar os ensaios; quer que tudo seja uma surpresa. Mas mesmo daqui vê-se o clarão trémulo, como se ali ardesse um enorme archote, bruxuleante mas tão potente... Olhe como lança sombras fortes sobre toda a Cidadela; e este zunido diabólico que se mete por todo o lado!
— Mas repare, Alteza, como a marcha do Progresso tem estugado o passo: as ruas de Paris nem há quatro meses têm as suas velas Jablochkoff. Neste momento, estão a aprestar-se para iluminar os miasmas nauseabundos de Londres. Lisboa segue por fim a par do mundo civilizado! E vai assistir ao nascer de uma nova era: noites repassadas de claridade, sem esconsos onde as velhas superstições se possam acoitar. É o toque de finados pelo Portugal Medieval, das velhas mirradas à lareira contando histórias de assustar, das mezinhas para tratar doenças comuns, da ignorância sem freio. Amanhã...
— Se a vossa vela milagreira é ainda uma novidade, por que não aguardar mais um pouco? Que a experimentem e melhorem longe daqui. Pode ser que ao menos deixe de cheirar tão mal neste forte! Não vejo o que pode sair de bom de uma máquina assim.

tags:

publicado por Luis Rainha às 23:01
link do post | comentar | favorito
|

Sustos recentes

Inté

Adivinha

O pirata do olho de vídeo

Mas será que a senhora es...

Inês Pedrosa perde o pé

As coisas são como são

UE PRETENTE IMPOR I2O Grs...

Manicomics

Some of my favourite thin...

A noite do morto vivo 31

É o povo, senhores (2)

A fórmula perdida

É o povo, senhores...

Um engenheiro debaixo de ...

O "nosso ilustre candidat...

Momento Espada da semana

0,31 da Armada

Great minds think nearly ...

Living in the past

Pronto, está bem, junto-m...

Pela Comarca de Guantanam...

Escondam lá a roupa suja,...

Apesar das ameaças de vet...

Publicidade dadá (3)

Publicidade dadá (2)

Literatura Socrática

Luis, pode falar-se de um...

Publicidade Dadá

Primeiro pensamento da be...

Como vai mal o humor em P...

O gap que nos faltava pre...

A vida social dos nossos ...

Manicomics

O título mais cómico do a...

CARICATURA#7

Sexware

Um novo sentido para "dan...

Espada e as "surpresas am...

Brinde da semana

Cocteau Twins — Wax and Wane
Ectoplasmas vários
Artiste du Jour
Antony Gormley
tags

todas as tags

pesquisar
 
subscrever feeds